Ilha do Medo

Ilha do Medo (Shutter Island)

“O Iluminado” de Scorsese. Essa foi uma das definições que eu vi do novo filme de Martin Scorsese. E até que gostei da comparação.

Assim como no filme de 1980, do Kubrick, a tensão e o suspense não são explícitos. Mas são reforçados cena após cena. A trilha sonora é forte e pode parecer exagerada, sem contar que lembra demais a trilha sonora do curta publicitário do diretor, Key to Reserva (aliás, protagonizado pelo Simon Baker, o Mentalist).

Na verdade, o filme, em especial o início, me lembrou muito os suspenses antigos, aqueles da década de 60. Fiquei com a impressão de que se trata de uma homenagem aos filmes antigos, feitos a essa maneira.

As atuações reforçaram essa minha impressão. Os olhares, o jeito de falar e a infinidade de cigarros. Aliás, falando de atuações, viva Jack Dawson. Leonardo DiCaprio vai se provando filme após filme. Que dupla, hein?!

Imagine ele e a Kate Winslet fazendo Titanic hoje em dia, haha. Acho que ganharia até elogios pela “profundidade psicológica” dos personagens. Mas a morte burra do Jack continuaria lá ¬¬… Tipo, sobe um de cada vez, ô amizade! Ou suba cada um em uma portinha flutuante.

Ok. Voltando à “Ilha do Medo” e suas atuações. Dispensável falar mais sobre o DiCaprio; todos os loucos têm cara de louco (então, ponto pra eles); Ben Kingsley vai bem (sem jeito de professor Xavier); Mark Ruffalo, pra mim, está sempre meio igual (o que não compromete); e, por fim, Michelle Williams, a ex-mulher de Heath Ledger, encaixou como uma luva no papel de Dolores.

(ei, você aí, fã de Dawson’s Creek… #nostalgia?!)

A direção é incontestável. O Leo, sim, o Leo, disse que esse é o melhor filme do Scorsese. Assim… pessoalmente, eu acho que discordo. Não é o filme dele que eu mais gosto. Mas até aí, né, quem sou eu pra contestar a palavra do Leo?!

Agora, um pequeno porém: ô Scorsese, que croma é aquele, hein, velho?! Pô, pega um pouco do orçamento de “The Pacific” emprestado… porque, minha nossa! Ficou bem tosquinho, hahaha. Aliás, primeira cena do filme: reconheceu o trauma de Titanic? (Jack?)

Enfim, até o cromakey “pouco lapidado” contribuiu para a minha impressão de não apenas um “filme de época”, mas mais do que isso, um “filme da época” (décadas de 50 e 60). Juro que se o filme fosse P&B eu muito acreditaria que ele andava perdido no tempo.

Por muitas vezes, você vai ficar confuso. Mas passa. Você vai passar por cenas e pensar “wtf..?”, mas não se preocupe, isso também faça. Diferentemente de LOST, as coisas são esclarecidas (#alfineta).

Por fim, Shutter Island é um filme com 2 visões. Não sei se os fãs de um bom blockbuster vão achar tão divertido. Afinal, é um suspense, mas não dá medo. Por outro lado, a crítica tem gostado e a maioria das pessoas também. Eu gostei. Talvez ainda veja de novo e ache ainda mais interessante.

De qualquer forma, vale ver. A crítica já aprovou, acho que a maior parte do público também. Mas fica a minha dúvida de qual será o papel do filme na História.

***Este post foi escrito no primeiro final de semana de exibição do filme, mas graças à minha desatenção, não havia sido postado ainda. Hoje eu já nem sei se no lugar onde você mora o filme ainda está passando. Mas se estiver, “Ilha do Medo” vale a ida ao Cinema. Passado esse tempo desde que assisti, já tenho certeza de que gostarei mais quando o vir pela segunda vez.

Posts relacionados:

Super Série
Publicidade em forma de Cinema (Key to Reserva)

Publicado por: Lê Scalia

Anúncios

3 comentários sobre “Ilha do Medo

  1. eu não sei… bem que poderia ter um final alternativo no DVD auhauhuhauhaua
    mas realmente, tirando alguns cromas, não dá pra negar que o filme é bom! “terror psicológico” – filme de louco, pra mim! uhuahauhauha

  2. heuhauha, eu curti o filme.
    as partes meio piras, como ele delirando sobre sua mulher sao muito boas.
    mas tipo, algumas falhas na continuidade me deixaram meio surpreso.
    vcs perceberam a quantidade de erros que tem na cena que uma louca la pediu um copo dagua e escreve um recado lá? o copo enche, esvazia, ela bebe um copo vazio, etc etc… bem falho.

    mas enfim, veria de novo.

    1. Sim, ti hahaha
      eu nem percebi, mas tem coisas bizarras né? hahahahaha
      tem hora q parece meio caseiro.. mas nada que tire o mérito. Quero ver de novo, acho q eu gostaria mais.

      “terror psicológico” – filme de louco, pra mim! uhuahauhauha
      tbm hahahahahaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s