Das marchinhas ao Rebolation

O carnaval começou há muito muito tempo atrás, introduzido pelos portugueses e originalmente chamado “entrudo”. Era, conseqüentemente, inspirado nas festas européias: pessoas nas ruas com máscaras e fantasias. A colombina, o pierrô e o Rei Momo agitavam os desfiles. Mas, como tudo que o brasileiro importa, o carnaval também foi melhorado. Mas muito melhorado – pelo menos de início. Porque foi aqui que colocamos o tempero que fez desta festa a mais querida dos brasileiros, e de muitos não-brasileiros: a música.

Sim, foram as marchinhas que deram força aos blocos de carnaval, para que se tornassem escolas de samba profissionalizadas. Ouvindo hoje as músicas que tocavam naquela época, a gente consegue entender.

Essas músicas, esses desfiles, essa época do carnaval, são inesquecíveis até para quem não viveu. Aqueles desfiles evoluiram, e ficaram assim:

Muito massa, né? A sincronia, a produção, o samba enredo, a alegria de quem faz parte do desfile e a satisfação de quem assiste, é tudo incrível.

Agora, só tem uma coisa que eu não entendo: como é possível alguém conseguir destruir o espírito de um carnaval que demorou tantos anos para ser construído? Tá bom que a Bahia faz a festa a sua maneira, e muita gente gosta. Mas como, nesta festa tão linda, tão poética, tão… Tão, me aparece uma coisa dessas?

Como é que isso foi acontecer? Sabe o que é o pior? Isso aí vai pegar.

Postado por: gabimateos

Anúncios

9 comentários sobre “Das marchinhas ao Rebolation

  1. Ai Gabi… o pior é que isso já pegou.

    Passei 9 dias em Fortaleza no começo de janeiro e nas rádios, bugues e jangadas (isso mesmo, cantado pelo jangadeiro) só se ouvia rebolation, dança da bicicletinha e eu vou cantar pra tu (girl beautiful, I love you). Em Porto Seguro deve estar pegando fogo!

    O pior de tudo é que a melodia é danada e fica gravada na cabeça, no subconsciente. Quando vc menos espera está cantarolando “reboleixanxan… reboleixanxan” hahahah
    E se vc é daquelas pessoas em que o cérebro tem “pobrema” em controlar os membros inferiores, sem perceber já está cantarolando “reboleixanxan” e suas pernas se mechendo freneticamente! kkkkkk

    E olha a cabeleira do Zezé ai gente!!
    Alguém segura a Camélia e me dá um dinheiro, ei você aí!

    bjoks

    1. ahahahahahaaha
      pois é. Eu passei uma semana em recife no começo do ano, e um dia na praia – Porto de Galinhas – aquele mar lindo, a areia branquinha, o céu azulzinho, e um jangadeiro me coloca isso aí no ultimo volume. ahahahahahahahah quebra o cliiiiiima!!ahuuahuahhua mas, que nem vc disse, pega.
      Obrigada pelo comentário, Renata! 😉

  2. Gabi, e o cláááááássico “Doutor, eu não me engano, meu coração é corinthiano” UHAUhaUHAuhaUAHuhauHAUhaU
    eu tava ouvindo no rádio hj uma entrevista com os compositores dessas marchinhas clássicas de carnaval… todas as que o silvio santos gravou, praticamente! ahauahuahauahuaha

    quando alguém fala do pierrot eu canto a música do los hermanos! uahauhauhaua
    “o pierrot apaixonado chora pelo amor da cooooooooooooooooolombiiiinaa” uahauhauhauha

    1. luuuu, eu to guardando essa pro post sobre o desfile do corinthiaaannnsss!!! ahahahahaha
      aliás, vem aí amanhã!!
      ahuahuuahhauhuauahuhauhauha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s